“Um ano para se esquecer e aprender”, na Coluna Templo Alvinegro, com Samuel Senra

10/12/2016 às 10:10 por Atualizado dia 17/02/2017 às 12:52

Samuel Senra é Graduando em Jornalismo pela Universidade Federal de Ouro Preto

O ano acabou e não levantamos nenhum dos tão sonhados canecos. As contratações, dentro da realidade do mercado, foram até boas. Jogadores como Robinho e Cazares corresponderam, apesar de oscilarem entre alguns bons e maus momentos. O futebol é assim. Tivemos nomes como Júnior Urso, Erazo, Otero, Fred, Fábio Santos dentre os contratados para substituírem os que se foram. E como em qualquer período de análise, alguns deles se mostraram à altura e outros apenas como bons reservas. Isso já nos dá uma ideia para quais posições devemos dar prioridade nas contratações na temporada que vem.

Quanto ao segundo jogo da final da Copa do Brasil, o resultado não foi surpresa para ninguém. Mesmo jogando com uma postura completamente diferente, o Galo não conseguiu criar nenhuma chance clara de gol. O Grêmio soube usar de sua vantagem, não teve vergonha de se fechar, e o fez muito bem. Esperou o Galo em seu campo de defesa e utilizou do contra-ataque para chegar ao gol.

Tirando dois amarelos não dados no primeiro tempo para a equipe gremista, o resultado foi justo. Carol Portaluppi se autopromoveu com o título, Renato Gaúcho, agora Portaluppi, se mostrou um técnico decente, e Cazares fez o gol que o Pelé não fez. Mas já era tarde demais para uma reação.

Para o ano que vem, o Galo precisa urgentemente se reinventar, estrutura e elenco já tem. O novo comandante, Roger Machado, será o responsável por isso, as arestas precisam ser acertadas para que o time ganhe um novo padrão de jogo, seguro e eficiente. Daniel Nepomuceno, agora secretário de desenvolvimento da prefeitura de Belo Horizonte, ficará incumbido das novas contratações, essas que precisam ser pontuais. Espero que ele acerte, já que Lucas Pratto está cotado para ser vendido, a fim de equilibrar as contas do clube.

Os jogadores já estão de férias, pois o Atlético não irá à Chapecó para a última rodada do Brasileirão, por conta da tragédia que vitimou a equipe da Chapecoense. É hora de refletir o ano que passou e as conquistas que nos escaparam pelos dedos. Descansar bastante para que no ano que vem o trabalho seja concreto assim como as recompensas.

 


Comente com o facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *