O ouro-pretano Rômulo de Paula e a paixão em fazer (e ensinar) música

De acordo com o talentoso músico de 27 anos, “não há idade para se aprender a tocar um instrumento”.

18/07/2017 às 13:26 por Atualizado dia 18/07/2017 às 13:38

Foto-O músico ouro-pretano Rômulo de Paula, licenciando do Curso de Música da UFOP
Crédito-Julia Francisquini

O brasileiro tem uma ligação muito forte com a música. Ou melhor, com as diferentes músicas produzidas, tocadas e escutadas em cada região do País. Desta forma, quando é anunciada a possibilidade de aprender como se faz música, seja para si mesmo, familiares ou amigos, a ideia é recebida com euforia.

Desde Platão, reconhece-se o poder do ensino da música sobre a formação do cidadão e hoje, um grande número de pesquisas comprovam os benefícios que o aprendizado musical pode proporcionar em termos de desenvolvimento de habilidades cognitivas.

De acordo com o livro “A Música na Escola” (vários autores, Allucci e Associados Comunicações) cientistas acreditam que a música possibilita o cérebro para formas superiores de raciocínio. Aliado a isso, as novas gerações poderão transformar a sociedade com mais criatividade, equilíbrio, alegria e cultura.

Para o professor Rômulo de Paula, de 27 anos, graduado em Música pela Universidade Federal de Ouro Preto, não existe idade para se aprender tocar um instrumento. A paixão pelo violão, ele herdou do pai e de outros músicos da família que eram violinistas. Mas o interesse veio forte quando completou 12 anos, ao pegar emprestada uma guitarra de seu tio. Foi quando conheceu e tomou gosto pelos Beatles e pela progressiva Pink Floyd.

“Comecei a estudar e tocar guitarra por conta própria, já que não tinha condições de pagar um professor particular. Naquela época as coisas eram bem mais difíceis”, lembra Rômulo.

A primeira banda de Rômulo foi formada aos 13 anos. Aos 16 tomou conhecimento do curso de música da UFOP. Autodidata, começou, sozinho, a estudar violão clássico e partituras. Logo que concluiu o Ensino Médio, ingressou na universidade. “O meu propósito sempre foi aprender a tocar e não a ensinar”.  A vida o levou a dar aulas particulares e, licenciado, continua fazendo isso até hoje.

Rômulo de Paula já lecionou no ensino infantil, escolas regulares de arte, além de ter atuado na Escola de Cultura do SESI Mariana. Hoje, no Garden Studio, localizado na Bauxita, ensina para crianças a partir dos 7 anos de idade e adultos, sem limite de idade. O músico rebate a ideia de que pessoas mais velhas não são capazes de aprender. “Como eu já dei muita aula para adultos, trabalho com muitas pessoas que nunca tiveram contato com nenhum instrumento. Não que a música seja fácil, antes de tudo é preciso força de vontade. Se o aluno tiver uma dedicação séria e seguir as orientações de estudo, pode vir a tocar qualquer instrumento”, afirmou o professor.

Seja no violão popular, erudito ou flamenco, na guitarra, baixo ou bateria, sem dúvida Rômulo de Paula, integra o talentoso time de músicos da cidade de Ouro Preto preparados para iniciar aspirantes no caminho da arte.

Certamente, Rômulo de Paula concorda com o verso da belíssima canção Tigresa, do cantor e compositor baiano Caetano Veloso. Além da paixão pela arte e ofício, a música teve como musa inspiradora ninguém menos que a atriz paranaense Sônia Braga (“uma tigresa de unhas negras e íris cor de mel”). Com dedicação, disciplina e direcionamento correto você também poderá, mais cedo do que imagina, afirmar – “como é bom poder tocar um instrumento”.

Contatos com Rômulo de Paula podem ser realizados através de seu telefone (31) 9 8551-5462


Comente com o facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *